Log in

 

 

Vitamina D: consequências da sua carência

  • blogue
  • Visualizações: 1803

A carência de vitamina D na população em geral e nos séniores em particular é mais comum do que se julga e este micronutriente é muito importante para a saúde.

O periódico The American Journal of Clinical Nutrition já chamou à deficiência dessa vitamina de “pandemia”.

Ela e é produzida pelo nosso corpo a partir da luz solar, e apenas uma pequena quantidade pode ter como fonte alguns alimentos como alguns peixes ou a gema de ovo.

A falta de vitamina D pode ter como causas:

·       As alterações que acontecem naturalmente na pele com o envelhecimento têm consequências na produção da vitamina através da acção da luz solar.

·        A forma de exposição à luz solar de pessoas que vivem em diferentes locais do planeta devido à inclinação dos raios solares.

·       Indivíduos que usam roupas que cobrem grande parte do corpo ou que passam grande parte do tempo em ambientes fechados.

·       A cor da pele. As pessoas que têm cores de pele mais escuras têm maiores níveis de melanina, pigmento que reduz a capacidade da pele em produzir vitamina D quando está exposta à luz solar.

·       A dieta estritamente vegetariana. Como já referimos, a principal fonte de vitamina D é o sol, mas os alimentos que são fonte deste micronutriente são principalmente de origem animal (certos peixes e óleos de peixe, gema de ovo, produtos lácteos como queijo ou iogurte natural, fígado bovino, etc.).

 

A deficiência de vitamina D está relacionada com as seguintes doenças:

·         Osteoporose: quantidades adequadas de cálcio e vitamina D são importantes para a manutenção da densidade óssea.

·          Saúde cardiovascular: a deficiência de vitamina D está associada a um risco maior de pressão arterial elevada.

·         Colesterol elevado: a produção de vitamina D ajuda a regular os níveis de colesterol no sangue.

·       Infecções respiratórias e constipações: alguns estudos indicam uma relação entre a carência de vitamina D e infecções respiratórias e constipações.

·         Depressão: a deficiência de vitamina D pode estar relacionada com a depressão.

·         Diabetes tipo 2: alguns estudos têm estabelecido uma relação entre níveis baixos de vitamina D e a diabetes tipo 2. A vitamina D contribui para a tolerância à glicose.

·         Saúde bucal: os seniores com baixos níveis de vitamina D têm uma maior taxa de perda de dentes do que aqueles com níveis normais da vitamina.

·       Artrite reumatóide: alguns estudos indicam que as pessoas com níveis normais de vitamina D parecem ser menos propensas a ter artrite reumatóide. Entre as pessoas que têm artrite reumatóide, aquelas com baixos níveis de vitamina D tendem a ter os sintomas da doença mais activos.

·         Cancro: a deficiência de vitamina D pode estar associada ao cancro. Estudos concluem que as pessoas com cancro têm baixos níveis de vitamina D e quando mais avançado estiver o estado dessa doença, mais baixo é o nível desta vitamina.

Log in or Sign up